Horta caseira

Até este momento só escrevi para agricultores profissionais. Agora quero me dirigir aos amadores. Por isso vou explicar sobre a elaboração de hortas caseiras.

De uma maneira geral, poucos gostam de se dedicar a essa atividade, uma vez que não estão habituados a lidar com estercos, estrumes e produtos químicos. Além disso, alguns dias após ter sido espalhado esse tipo de adubo, o cheiro torna-se insuportável e atinge inclusive os aposentos da casa. É também um produto anti-higiênico, que causa transtorno, especialmente na hora das refeições.

Se houvesse resultados satisfatórios, até que esses infortúnios poderiam ser tolerados. Entretanto, o que se obtém com o emprego de fertilizantes químicos ou orgânicos são produtos contaminados, prejudiciais à saúde de qualquer ser vivo. Não há, portanto, processo mais absurdo que um cultivo adubado. Poucos, contudo, têm percebido tão grande erro. Muita gente ainda se espanta ao tomar conhecimento de tamanha ignorância.

De outra parte, é notório que na Agricultura da Grande Natureza não existe odor algum desagradável. É uma cultura limpa, higiênica, com excelentes resultados de produção. Surpreende tanto na quantidade quanto no sabor. Desaparecem também os perigos de pragas, lombrigas e demais parasitas. As folhas, caules e frutos apresentam uma beleza ímpar, que não se encontra na agricultura convencional.

É por isso que, ao iniciar a prática da Agricultura da Grande Natureza, qualquer pessoa sente imenso prazer de lidar com a terra, cuidar das plantas, pela manhã.

Mexer num solo misturado às excrescências de animais sempre causa mal-estar, certa repugnância, bem ao contrário da grande satisfação que proporciona o plantio numa terra pura, sem contaminação.

Meishu Sama – Mistério da Grande Natureza, p. 100 – Lux Oriens Editora

Similar Posts